Artigos . Depressão sazonal

08/07/2013

Cai a tarde, o pouco sol desaparece no horizonte o frio aumenta ainda mais. Pessoas passam rápidas e sempre entre curvadas com seus longos casacos e agasalhos quentes. Pouco tempo depois as ruas e calçadas estão vazias. Este é o panorama da estação que começou; o inverno.

                A estimativa é de que, em países onde o inverno é bastante rigoroso e com dias de pouca luminosidade, cerca de 10% da população desenvolva a depressão desta estação. Já em países com temperaturas amenas nesta época do ano, como o Brasil, por exemplo, o mal atinge 1% da população. Embora a incidência de casos seja maior em países com invernos rigorosos, é preciso atentar para os sintomas, principalmente se forem recorrentes. 

                Pessoas com depressão sazonal com é conhecida e apresentando alguns destes sintomas, podem precisar de tratamento. São eles:

  • Dormir mais horas por dia no inverno e mesmo assim continuar cansada e com dificuldade acordar pela manhã.
  • Aumento de apetite, vontade de comer carboidratos, Chocolate e besteiras (Junk food).
  • Mudanças na energia e motivação: dificuldade de concentração, execução de tarefas rotineiras, fadiga, isolamento social e diminuição do impulso sexual.
  • Mudanças no humor: irritabilidade, apatia, baixa auto-estima, sensação de depressão.
  • Piora da Tensão Pré-Menstrual.

Tem como incidência maior em mulheres do que homens e entre as idades de 20 e 40 anos, mas podendo ocorrer em todas as idades, inclusive em crianças. Também pessoas com uma predisposição genética e com familiares que sofram de Depressão ou Distimia têm maior probabilidade de sofrer de Depressão Sazonal.

Algumas pesquisas concluem que há fortes indícios de que ocorra uma alteração no ciclo circadiano, o qual rege nosso estado de sono e vigília. Mas a causa mais provável dessa depressão que ocorre nos meses mais escuros parece estar realmente ligada a alguns fatores fisiológicos como:

  • Aumento da concentração de hormônios como a melatonina, também responsável por regular a sonolência e a disposição
  • Diminuição de Serotonina, pois ela atinge seu pico de produção quando a pessoa é exposta à luz brilhante.

 

Inclusive há estatísticas que indicam que o número de suicídios por depressão é maior em países de clima frio e com menor incidência de luz. Mas assim como outras formas de depressão, o principal tratamento é medicamentoso, mas muitas pessoas sentem melhora tão grande com a Fototerapia que podem dispensar ou diminuir a dose dos antidepressivos. Este tratamento faz uma liberação de Serotonina, um Neurotransmissor que controla o apetite, humor e energia, causando assim uma sensação de bem estar.

Artigos . Joelho de corredor

22/07/2013

Cada vez mais praticantes de corrida, sejam eles de rua ou em esteira referem dor na articulação dos joelhos. Em alguns casos esta dor esta ligada diretamente a prática deste esporte. A condromalácia patelar é uma das lesões típicas do corredor. Ela é um dos componentes da síndrome femoropatelar, patologia também chamada de “joelho de corredor”.

Diagnostica a dor como condromalácia patelar, esta lesão na cartilagem anterior do joelho (patela), que pode ir de um amolecimento até uma perda completa de parte da cartilagem, tem como causas o alto impacto, o desequilíbrio muscular e os desalinhamentos que geram sobrecarga no joelho. Como o impacto do corpo com o solo na corrida é de aproximadamente 3 vezes o peso do corpo e é absorvido pelo movimento das articulações e depende da contração muscular, sendo assim quando há pouca contração muscular para absorver o impacto, as articulações é que recebe a maior parte do choque. Tornando o joelho o alvo mais afetado, o que com o tempo vai gerando um grande desgaste na cartilagem.

                Desalinhamentos no joelho aumentam a pressão entre a patela e o fêmur (osso da coxa), além de colocarem o membro inferior em uma posição que desfavorece uma boa contração muscular. O principal desalinhamento relacionado à condromalácia é o valgo do joelho (joelho se projetando para dentro quando o pé está apoiado no chão). Ele acontece na maior parte das vezes devido a uma fraqueza da musculatura lateral do quadril, que deveria sustentar a coxa. Além desta situação, uma flexão exagerada do joelho na fase de apoio, causada por falha na contração do músculo anterior da coxa, gera maior compressão da patela sobre o fêmur. Alta compressão nessa região acontece também em agachamentos muito profundos, que devem ser evitados. Importante salientar; no exercício de agachamento feito durante os treinos de musculação os joelhos nunca devem ultrapassar a ponta dos pés.

A sobrecarga no joelho pode ter origem também no posicionamento do corpo no momento da aterrissagem do pé no chão. Quanto mais longe o pé aterrissar do tronco, maior é a carga sobre o joelho. Uma passada de corrida ideal é aquela em que o pé vai bem para trás, graças a amplitude de quadril, e quando volta pra frente aterrissa próximo ao tronco e não muito à frente.

 

Com individualidade em cada caso de condromalácia o diagnóstico nunca é generalizado e sim bem específico. Mas de forma ampla, fortalecer toda a cadeia muscular que forma o membro inferior e também a do quadril em sessões de musculação, com certeza diminui e muito a possibilidade de lesão desta natureza nesta região. 

Artigos . De mãe para filho

30/11/-0001

Um em cada cinco jovens brasileiros de 2 a 19 anos está com níveis totais de colesterol altos. O dado alarmante é o resultado de um novo levantamento da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), divulgado semana passada. Dos jovens que apresentam altos níveis de colesterol, 8% estão com o LDL (o colesterol "ruim") acima do considerado normal.

Segundo a literatura, o normal seria que nessa faixa etária o jovem não apresentasse problemas com colesterol, mas sim um desequilíbrio apenas na fase adulta. Os jovens com problemas de colesterol correm o risco de sofrer infarto na vida adulta dez anos mais cedo do que a média. Eles ainda têm mais chances de desenvolver outros problemas, como derrames cerebrais.

A explicação para isto pode estar em uma pesquisa que aponta que filhos de mães que tiveram colesterol alto antes da gravidez têm chances muito maiores de apresentar o mesmo problema. Muito antes de pensar em engravidar, uma mulher pode influenciar no fato de seu futuro filho ter ou não problemas de colesterol na idade adulta. Conclusão apresentada em uma pesquisa no Congresso Cardiovascular do Canadá. Se uma mulher tiver altas taxas de colesterol ruim (LDL) mesmo antes da gestação as chances do filho também ter altos níveis de LDL no sangue quando adulto são cinco vezes maiores do que se ela apresentar índices normais. Os pesquisadores analisaram dados de três gerações de participantes do Estudo do Coração de Framingham, que começou com 5.200 homens e mulheres adultos em 1948. Ao observar as informações dos filhos e netos da primeira geração de voluntários, os pesquisadores encontraram a ligação entre o risco de ter colesterol alto dos adultos e o histórico desse mesmo problema em suas mães. Ainda segundo os cientistas, o estilo de vida das pessoas e os conhecimentos de genética atuais não são suficientes para explicar todos os motivos que podem aumentar o nível de LDL no sangue. Agora, o próximo passo é descobrir quais são os mecanismos que tornam possível a transmissão do problema de mãe para filho. Assim focando em bloquear esta ponte de ligação nada salutar.

Mas o que sabemos é que a alta taxa de colesterol ruim pode causar uma série de problemas, como aterosclerose, infarto e derrame cerebral. A descoberta do trabalho reforça ainda mais a importância de monitorar a quantidade de colesterol no organismo por meio de consultas médicas e exames, além de adotar hábitos saudáveis que ajudam a regular os níveis da substância, como a prática de exercícios físicos e uma alimentação balanceada.

 

 

Artigos . Exercícios físicos aumentam as varizes?

26/08/2013

Sempre uma dúvida frequente entre os praticantes, principalmente de musculação; as varizes podem surgir devido ao esforço dos exercícios contra resistência? O problema é que se acreditava que a contração muscular esmagava as veias e atrapalhava o retorno do sangue e assim causava as varizes. A Angiologia traz o exercício físico, incluindo a musculação, como benéfica. Estudos demonstraram que a prática de exercícios físicos leva a angiogênese, processo onde novos vasos sanguíneos são formados a partir de vasos já existentes. O exercício seria capaz de estimular está formação.

O Exercício físico praticado corretamente auxilia muito na circulação,já que os maiores troncos venosos estão localizados juntos aos grupos musculares. Ao ser contraído, o músculo também contrai as veias subjacentes que, por sua vez, têm válvulas que permitem um melhor fluxo sanguíneo no corpo.Estudos mostram que quanto maior o tônus muscular melhor é o funcionamento do sistema circulatório. Para que o sangue possa voltar ao coração, as veias possuem válvulas venosas que impedem seu refluxo. Caso essas pequenas válvulas falhem, o sangue reflui e causa a dilatação das veias, devido ao aumento do volume sanguíneo. Todavia, os exercícios podem ajudar, e muito, neste retorno do sangue, e assim, evitar este problema.

A literatura ressalta muito que se a pessoa interessada em praticar musculação possuir doenças vasculares no histórico familiar, ou apresentar alguns vasos varicosos, recomenda-se uma avaliação médica com um especialista,que irá indicar se há limitação ou não à prática de exercícios com peso.Considerando assim as reais condições de saúde do aluno. Somente a partir deste diagnóstico e prescrição, o aluno estará assegurado para que os exercícios com sobrecarga sejam executados sem que provoquem o surgimento ou o agravamento das varizes. Além disso, é importante que portadores de varizes de pequeno calibre e que não apresentam insuficiência vascular profunda, façam um programa de treinamento voltado aos cuidados desta situação de saúde. Isto poderá não favorecer a hipertrofia muscular em curto prazo, porém não irá provocar o agravamento ou o surgimento de novas varizes. 
           Alguns detalhes no dia a dia que podem fazer a diferença ao longo dos anos. Como: Cruzar as pernas, sentar sobre elas,ficar em pé ou sentado não tem nenhum problema, desde que não seja por longo tempo. O importante é variar as posições várias vezes ao longo do período.

Exercícios físicos orientados por profissionais capacitados e sob aval de um médico especialista é de suma importância para portadores de algum distúrbio vascular.

 

 

Artigos . Sinais que podem salvar vidas

02/09/2013

O ataque cardíaco, chamado pela área da saúde de infarto agudo do miocárdio, é caracterizado pela morte de parte do tecido que forma o coração, que geralmente é causado pelo entupimento  das artérias. Pode ser proporcionado por situações de stress ou excesso de exercício físico, mas geralmente ele deve-se ao entupimento das artérias que irrigam o coração por placas de ateroma.

Ansiedade: um ataque cardíaco pode causar muita ansiedade e medo da morte, momentos antes de ocorrer

Desconforto no peito: sintoma clássico de um ataque cardíaco

Tosse persistente: pode ser o resultado do acumulo de líquidos nos pulmões, devido à insuficiência cardíaca

Tontura: sentir-se tonto e chegar a desmaiar pode ocorrer momentos antes de um ataque cardíaco ou em casos como arritmia ou hipotensão;

Fadiga: sentir-se muito cansado o tempo todo pode indicar insuficiência cardíaca;

Náusea ou falta de apetite: o inchaço abdominal causado pela retenção hídrica pode indicar um mal funcionamento do coração; podem do também estar associada a dor do infarto;

Dor em outras partes do corpo: a dor pode começar no peito e se espalhar para os ombros, braços, cotovelos, costas, pescoço,mandíbula, ou no abdômen e também pode estar relacionada a um infarto;

Pulso rápido e irregular: quando acompanhado de fraqueza, tonturas ou dificuldade em respirar, estes podem caracterizar uma evidência de um ataque cardíaco, insuficiência cardíaca ou uma arritmia

Falta de ar: pode indicar também o início de um ataque cardíaco

Suor frio repentino: pode indicar um infarto,hipotensão, hipertensão ou arritmia;

Inchaço: a insuficiência cardíaca pode causar retenção de líquido;

Fraqueza extrema: pode ocorrer nos dias que antecedem um ataque cardíaco ou associado à insuficiência cardíaca ou hipotensão;

Quanto maior o número destes sintomas sentidos, maiores são as chances de apresentar um quadro de insuficiência cardíaca, ou mesmo ataque cardíaco. Indivíduos que possuem maiores chances de sofrer com doenças do coração são aqueles que têm antecedentes familiares com problemas de coração, os que estão acima do peso ideal, fumam e possuem outras doenças associadas, como diabetes e hipertensão. Por isso, é importante marcar uma consulta com um cardiologista para uma avaliação minuciosa e conseqüente tratamento.

 

 

Artigos . Não dormir mata

09/12/2013

Passamos um terço de nossas vidas mergulhados neste mundo misterioso e não sabemos exatamente por que. A ciência procura respostas para muitas perguntas e estuda cada vez mais as funções cerebrais para entender o que acontece em quanto dormimos.

       Até a metade do século 20 acreditava-se que o cérebro durante o sono era desligado por completo com objetivo único de descansar, mas novos estudos já mostram que existem outros objetivos além deste. Na verdade são três os motivos: Economizar energia, fazer a manutenção do corpo e firmar a memória. A economia de energia é a mais obvia, pois quando dormimos nosso corpo diminui suas funções vitais pelo simples fato de estar imóvel e relaxado. A segunda função e mais relevante tem a ver com os processos reparadores que o corpo executa enquanto dormimos. Cientistas da Universidade de Chicago comprovaram isto em um estudo com ratos. Após duas semanas sendo impedidos de dormir os ratos simplesmente morriam. Com manchas e lesões que não cicatrizavam e independente da quantia alimentar, só perdiam peso. Até que simplesmente apagavam. Mas no ano passado no Reino Unido uma pesquisa chegou a uma possível explicação. Um grupo de pessoas foi mantido acordado por 29 horas e os dados coletados foram muito significativos, com alterações no nível de células brancas, as quais aumentaram muito colocando em risco a habilidade do sistema imunológico do organismo de combater infecções. Além disto, uma liberação maior de cortisol e adrenalina, mostrando assim que o organismo esta em estado de estresse, isto já nas primeiras 24 horas. No começo a pressão aumenta, depois desregula o metabolismo e em seguida, mantendo-se acordada esta pessoa passa ater alucinações.

       Já terceira função aproveita o sono para fazer uma limpeza cerebral, ou seja, descarta células mortas e moléculas de uma proteína cujo acúmulo impede as conexões entre neurônios provocando a doença de Alzheimer, levando a perda da memória. Mas também a gravar informações.

      A tese mais intrigante mostra que durante o sono os neurônios de uma região do cérebro que coordena a formação de memórias (hipocampo) é disparada “ao contrário”, ou seja, é um indicio forte que há memórias sendo apagadas. Para selecionar quais serão deletadas, o cérebro analisa quais têm relações com outras informações já armazenadas na mente e isto mostra a relevância da informação e esta fica gravada.

    O importante é ter a consciência que todos os estudos em suas complexidades não mostram o mais simples, que o descanso faz parte de vida. Ele ajuda nossa produtividade, melhora nosso humor e nos deixa mais ativos para vivermos melhor.

Artigos . Não dormir mata

09/12/2013

Passamos um terço de nossas vidas mergulhados neste mundo misterioso e não sabemos exatamente por que. A ciência procura respostas para muitas perguntas e estuda cada vez mais as funções cerebrais para entender o que acontece em quanto dormimos.

       Até a metade do século 20 acreditava-se que o cérebro durante o sono era desligado por completo com objetivo único de descansar, mas novos estudos já mostram que existem outros objetivos além deste. Na verdade são três os motivos: Economizar energia, fazer a manutenção do corpo e firmar a memória. A economia de energia é a mais obvia, pois quando dormimos nosso corpo diminui suas funções vitais pelo simples fato de estar imóvel e relaxado. A segunda função e mais relevante tem a ver com os processos reparadores que o corpo executa enquanto dormimos. Cientistas da Universidade de Chicago comprovaram isto em um estudo com ratos. Após duas semanas sendo impedidos de dormir os ratos simplesmente morriam. Com manchas e lesões que não cicatrizavam e independente da quantia alimentar, só perdiam peso. Até que simplesmente apagavam. Mas no ano passado no Reino Unido uma pesquisa chegou a uma possível explicação. Um grupo de pessoas foi mantido acordado por 29 horas e os dados coletados foram muito significativos, com alterações no nível de células brancas, as quais aumentaram muito colocando em risco a habilidade do sistema imunológico do organismo de combater infecções. Além disto, uma liberação maior de cortisol e adrenalina, mostrando assim que o organismo esta em estado de estresse, isto já nas primeiras 24 horas. No começo a pressão aumenta, depois desregula o metabolismo e em seguida, mantendo-se acordada esta pessoa passa ater alucinações.

       Já terceira função aproveita o sono para fazer uma limpeza cerebral, ou seja, descarta células mortas e moléculas de uma proteína cujo acúmulo impede as conexões entre neurônios provocando a doença de Alzheimer, levando a perda da memória. Mas também a gravar informações.

      A tese mais intrigante mostra que durante o sono os neurônios de uma região do cérebro que coordena a formação de memórias (hipocampo) é disparada “ao contrário”, ou seja, é um indicio forte que há memórias sendo apagadas. Para selecionar quais serão deletadas, o cérebro analisa quais têm relações com outras informações já armazenadas na mente e isto mostra a relevância da informação e esta fica gravada.

    O importante é ter a consciência que todos os estudos em suas complexidades não mostram o mais simples, que o descanso faz parte de vida. Ele ajuda nossa produtividade, melhora nosso humor e nos deixa mais ativos para vivermos melhor.

Artigos . Os riscos da dieta restritiva

16/12/2013

Quem nunca ouviu falar em uma dieta milagrosa, dieta da lua, dieta dos pontos, de Beverly Hills ou dos shake’s e outras tantas que prometem em pouco tempo emagrecimento, diminuição de peso. Mas o que a maioria não sabe é o que acontece com nosso organismo quando tomamos esta decisão radical.

Nosso organismo é repleto de componentes químicos e estes componentes é que são extremamente necessários para nossa sobrevivem de forma saudável, tira-los por completo ou restringi-los podem acarretar doenças graves. Restringir a dieta a um só tipo ou grupo de alimentos pode levar à perda rápida de peso, mas causa complicações à saúde e produz o efeito “sanfona”, prática comum com a chegada do verão.

Existem dietas que restringem por completo a ingestão de carboidratos, o que faz apenas aumentar a fraqueza, mal estar e alterações na pressão, podendo levar a taquicardia e alterações de hormônios. É sabido que qualquer dieta que restringe a ingestão energética vai levar à perda de peso. Mas essa não é a maneira mais correta de emagrecer, especialmente se a pessoa precisa perder grande quantidade e não tem interesse em ganhar novamente, a baixa ingestão de energia causa perda de massa muscular e não de gordura, quando o objetivo das dietas deveria ser o contrário.

                São notórios estes sintomas em pessoas que tiram alguns grupos alimentares nas refeições: pele ressecada, queda de cabelo, fragilidade nas unhas, mau humor (porque faltam nutrientes importantes para o funcionamento do cérebro), mau hálito, insônia, dores de cabeça e desidratação.

Outros equívocos cometidos são achar que alimentos por serem saudáveis são suficientes. Um exemplo; para filmar a história do empresário da Apple, o ator Ashton Kutcher seguiu a dieta de Jobs, mas foi parar na emergência de um hospital. "Eu não recomendo essa dieta para ninguém. Eu queria seguir a mesma disciplina com a alimentação que ele seguiu, mas eu tive um problema sério no pâncreas e senti muita dor”, disse o ator. A fruta é um alimento saudável, mas apenas se associado a outros grupos. Contudo quando você pega algo que é saudável, mas tira do contexto de todos os alimentos, ela deixa de ser. São saudáveis desde que façam parte da dieta que inclui carne, cereais, laticínios. A falta de alguns grupos de alimentos pode causar muita perda de massa muscular, de micronutrientes e levar à anemia.

O mais correto a se fazer é contatar um especialista para que através de exames sejam diagnosticado as necessidades diárias de cada indivíduo e o melhor cardápio para cada necessidade. Temos a péssima mania de fazer experiências com nosso corpo, mas temos que saber que isto é extremamente perigoso e danoso a nossa saúde. 

 

Artigos . Festas saudáveis

23/12/2013

Em conversa com meus alunos, muitos demonstraram preocupação com as festas de fim de ano. Como poderiam eles fazer para ter ceias saudáveis, mas sem perder o que há de melhor nestes eventos. Então pedi para a nutricionista Taiane Gabriela as principais formas para bem comer nestas datas.  E ai esta o parecer de uma especialista.

O ano se encerra sempre com muita correria, eventos e comemorações. Para muitos essa época representa mudança de rotina: redução do exercício físico, longos períodos sem se alimentar, comidas mais calóricas e bebida alcoólica em evidência. Pensar em dieta e em atingir objetivos estéticos durante as festas de final de ano é um pouco fora da realidade, mas alguns cuidados são possíveis para manter as conquistas do ano que termina.

Na ceia de Natal podemos adaptar os pratos típicos escolhendo carnes magras, preparando saladas sem maionese (ou com iogurte natural como substituição), evitando petiscos calóricos e gordurosos, temperando as carnes com ervas e fazendo arroz a grega com arroz integral. Outra dica é usar as castanhas e nozes na farofa ou no arroz ao invés de oferecer como petisco, reduzindo assim o consumo, já que são bastante calóricas. E não se esqueça de organizar uma mesa de frutas!

Dicas para os dias de festa:

*Controle a sensação de saciedade (mastigue devagar e comer primeiro as saladas ou frutas);

*Nos dias das celebrações, não ficar muito tempo sem comer para evitar fome aumentada a noite;

*Antes de se servir, olhe primeiro tudo que é ofertado, para planejar suas escolhas;

*Controle quantidade de álcool e intercale com água;

*Seja seletivo: escolha o que mais deseja consumir, dando preferência para os pratos típicos dessa época;

*Controle as porções, especialmente as opções mais calóricas;

*Controle a ansiedade (comum neste período), observando/definindo sensação de fome e vontade de comer mais.

Comer faz parte das celebrações, mas tire o foco da comida e aproveite ao máximo sua família e amigos. Desfrute os momentos com moderação nas escolhas e quantidades e, no próximo ano, esteja ainda mais comprometido com sua saúde.

Um ou dois dias de consumo alimentar diferenciado não são capazes de promover mudanças corporais significativas, mas não demore a retomar seu plano alimentar!

Boas festas e um ótimo 2014!

Taiane Gabriela

Nutricionista

 

Artigos . Dores e lesões da corrida

13/01/2014

Para os praticantes de corrida, dores após o treino parece já fazer parte do “menu”. Mas com certeza não. O que se deve fazer quando a dor chega é respeitar os limites do corpo e parar, esta é a melhor forma de evitar problemas.

      A praticidade da corrida, bem como o caráter democrático, esta criando uma situação antagônica. Como ela ajuda a combater o sedentarismo e suas consequências mais preocupantes, como a obesidade e as doenças cardiovasculares é extremamente benéfica a saúde, mas está produzindo um grande número de praticantes que sofrem, às vezes por meses, com dores e lesões em músculos, tendões e ossos.

       Um novo estudo mostrou que: joelhos, pés, pernas, tornozelo e coluna são as áreas do corpo mais afetadas por lesões causadas pela corrida. Esta pesquisa demonstrou as características de treinamento e histórico de lesões em 200 corredores que corriam por lazer há pelo menos seis meses. E o que foi constato é que os corredores com mais tempo de prática de corrida eram justamente os que apresentavam taxas menores de lesão. Mostrando que os mais experientes estariam mais adaptados ao esporte e, entendendo melhor os limites do próprio corpo, estariam mais protegidos de dores e lesões. Já os corredores mais recentes e com maiores índices de lesões estariam vulneráveis pelas razões opostas: despreparo, muitas vezes associado ao excesso.

         O  que se sabe hoje é que quem corre mais de 50 km por semana está mais propenso a lesões do que quem fica dentro desse limite. Foi constato também que o aumento súbito na carga de treino, ou seja, acelerar demais o ritmo ou percorrer distâncias muito maiores do que se está habituado, contribui de forma decisiva para o surgimento de dores e lesões

       Cuidados devem ser tomados mesmo para quem participa de grupos de corrida orientada ou treina individualmente com um profissional especializado. Praticar exercícios físicos com a supervisão ajuda, e muito, a fugir das lesões mais frequentes. Mas, no entanto isso não consegue inibir o excesso fora dos dias e horários de treino.

                Não se pode nunca negligenciar sintomas como dores durante a corrida, isto pode significar que algo esta errado em muitos detalhes. Desde como se corre até uma lesão mais grave. Fortalecer a musculatura envolvida na corrida, principalmente abdômen, ajuda a afastar problemas, mas a cautela segue sendo a forma mais eficaz de prevenir o surgimento de lesões. Durante a corrida os ossos sofrem microfissuras que são regeneradas no intervalo em que o organismo descansa do exercício, então não esqueça que descansar faz parte do treinamento.

Artigos .

31/12/1969

  Vários motivos e situações já nos criaram surpresas ao saber da morte de uma pessoa por mal súbito. Frases como: tão jovem!  Fazia exercício sempre! Ou não fumava. São expressões comuns para demonstrar espanto com a perda da vida de uma pessoa.  Ao contrário do que muitos acreditam, o mal súbito pode resultar tanto do excesso de atividade física quando da falta dela. Como o coração é um músculo, ele normalmente cresce com a aceleração dos batimentos cardíacos durante a atividade física intensa e exagerada. Processos inflamatórios, alterações degenerativas, doenças congênitas ou infecciosas, miocardites por bactérias e vírus, anemia falciforme, intoxicações, reflexos nervosos também são fatores importantes para esta causa.

Em crianças, a morte súbita é mais comum nos primeiros três meses de vida, tornando-se rara após os seis meses. Em geral, está ligada a fatores hereditários e ocorre mais em filhos de mães fumantes. Em adultos, está ligada a problemas cardíacos, nem sempre conhecida pelo portador, especialmente em esportistas.

    A hemorragia cerebral, causada geralmente por aneurismas congênitos, dilatações anormais das artérias cerebrais, que se rompem ou uso de drogas ilícitas; como cocaína, crack, heroína ou ecstasy ou mesmo as lícitas, estimulantes como efedrina e anfetamina, diuréticos, álcool e anabolizantes, são outra das causas de mal súbito. Mesmo medicamentos considerados inocentes, como descongestionantes nasais, os usados para emagrecer, os que atuam no sistema nervoso central, estimulantes cerebrais ou antidepressivos, antibióticos ou alguns medicamentos para tratar doenças cardíacas podem provocar arritmias graves e por vezes são fatais.

     Quando um coração apresenta uma arritmia quando exposto a esforços físicos ou a medicamentos, já é um sinal que devemos tomar como alerta sobre uma possível doença cardíaca. A arritmia fatal está ainda associada a esforços extremos, mas tudo depende do condicionamento físico de quem pratica a atividade e da presença ou não de uma doença de base. Temos que ter regularidade na pratica de exercícios físicos, já que ele previne doenças cardíacas e melhora o condicionamento físico. Além disso, controla doenças como hipertensão, pois melhora a circulação sanguínea e a irrigação de todo o organismo por oxigênio, bem como previne o diabetes, em razão de aumentar a sensibilidade à insulina.

Mas, sempre é muito importante o check-up regular e o acompanhamento de um profissional para aquela pessoa que já apresenta uma predisposição ou faz parte de algum grupo de risco.

 

Artigos . Corpo ativo mente jovem

24/03/2014

A sociedade atual tem como regra supervalorizar a novidade, e velho é sinônimo de ultrapassado, é natural que haja uma forte preocupação da população em geral, em manter-se sempre jovem, ou, pelo menos, tentar retardar ao máximo os efeitos do envelhecimento. No entanto para algumas pessoas, manter-se jovem por um tempo maior do que o normal parece ser natural. Para entender e controlar isto, médicos e especialistas tem apostado em uma resposta animadora. Além dos fatores genéticos e ambientais, saúde e juventude na terceira idade estão intimamente relacionadas com o estilo de vida que se leva.

      Pesquisadores informam que o estilo de vida tem o poder de explicar cerca de 65% da capacidade de o indivíduo idoso realizar eficientemente as atividades mais simples da vida diária,como: comer, banhar-se e vestir-se. Representando assim, metade de toda a influência na saúde. Um dos cientistas desenvolveu uma série de exercícios com pesos para serem realizada por idosos, devido ao fato de o monitoramento e controle serem mais fáceis neste programa, ao contrário do que muitos pesam. Chegando alguns casos os riscos associados serem menores que nos exercícios aeróbicos, tidos como os mais básicos.  Além dos benefícios já citados anteriormente, podendo chegar até ao controle da glicemia, do aumento da densidade mineral óssea e da massa muscular, além de benefícios psicoemocionais. Neste último caso, tem se observado com frequência melhora do estado de humor, maior predisposição mental, ausência de sintomas depressivos, maior satisfação com a vida, além de menor reatividade ao estresse e melhor gerenciamento de situações de conflito interpessoal.

Outro aspecto muito importante é o decréscimo no uso de medicamentos e na gravidade da doença como efeito induzido pelo exercício naqueles indivíduos portadores de alguma patologia. Um exemplo é do indivíduo que tem diabetes e faz uso de medicamento, tende a diminuir a dosagem diária após executar regularmente um programa de exercícios, conseguindo também evitar ou controlar melhor as co-morbidades associadas, como: obesidade, doenças cardiovasculares e até distúrbios oculares. Isso significa que, diferente de muitos medicamentos, o exercício prescrito adequadamente produz benefícios sem causar efeitos colaterais.

Com isso o que vemos é uma estimativa de vida que aumentando de 41,5 anos na década de 1940, a esperança de vida de 67,7 anos na de 1990, alcançando uma média de mais de 5 anos por década, chegando aos 74 anos nos dias atuais. (IBGE). 

Artigos . Doenças não contagiosas

28/07/2014

Com números de epidemia mundial, a obesidade infantil é tema da Organização Mundial da Saúde (OMS), através de um alerta divulgado esta semana.  Tal relatório reflete o dramático impacto das doenças não contagiosas.  Segundo a diretora da OMS Margaret Chan as crianças estão engordando em todas as regiões do mundo. Os dados foram mostrados em um fórum na sede da ONU para falar sobre as políticas oficiais que buscam combater doenças como o câncer e o diabetes.

A OMS publicou um relatório que aponta que a cada ano morrem 38 milhões de pessoas em decorrência de doenças não contagiosas, entre elas a obesidade, sendo que algumas delas podem ser evitadas com a suficiente prevenção. Lembrou Chan que a história mundial esteve marcada pela luta contra as doenças infecciosas, que foram diminuindo enquanto crescia a qualidade de vida. Mas hoje está ocorrendo o contrário. O progresso socioeconômico de fato está criando as condições que favorecem estas doenças. Os números são alarmantes, deste número total de vítimas destas doenças, delas 14 milhões morrem entre os 30 e os 70 anos, e 85% são moradores de países em desenvolvimento.

Chan ressalta ainda, - que não vê uma falta de compromisso, mas uma falta de capacidade para atuar, especialmente nos países em desenvolvimento. A maior autoridade da OMS declarou que as tendências estão gerando uma "profunda preocupação", especialmente nos locais mais pobres. Ao referir-se à obesidade, disse que se trata de uma epidemia que está se desenvolvendo cada vez mais nas últimas três décadas. Culpando as práticas da indústria alimentícia, especialmente na comercialização de comidas não saudáveis e refrigerantes para as crianças, exercendo assim um papel importante, mas de cunho negativo. Como a comida saudável não é acessível na maior parte do mundo, isto cria o desvio, sendo infelizmente, a comida menos saudável a mais barata e mais conveniente.

O relatório apresentado não fixa um ranking mundial quanto à mortalidade das doenças não contagiosas, mas apresenta os dados de cada país separadamente. Por exemplo, no Brasil 31% das mortes se deve a problemas cardiovasculares e 17% ao câncer. No país, a probabilidade de morrer por doenças não contagiosas é de 19% entre os 30 e 70 anos. No México, um país com altos níveis de obesidade infantil, as doenças cardiovasculares representam 24% das mortes e o câncer 12%, com 16% de probabilidade de morrer por males como esses na mesma faixa etária. A prevenção, a educação e políticas de alerta e saúde publica serão fundamentais para os próximos anos.

Artigos . Deveria ser regra.

11/08/2014

Todas as pessoas necessitam de atividades físicas para o seu desenvolvimento, tanto no aspecto biológico quanto para o conhecimento do corpo, para criar habilidades de controle e coordenação, equilíbrio e harmonia, força e agilidade, em diferentes atividades.

A atividade física deve ser assegurada e promovida durante toda a vida das pessoas, criando, assim, um estilo de vida ativo, assegurando saúde, disciplina e lazer. As atividades físicas individuais ou coletivas, culturais ou de lazer, contribuem para o desenvolvimento das potencialidades do ser humano, trazendo melhorias na qualidade de vida. As crianças precisam ser estimuladas para se movimentarem e motivadas a gostar das atividades físicas, possibilitando que estas se tornem parte integrante do seu cotidiano. As escolas têm se preocupado em promover esta educação efetiva para a saúde e para a ocupação saudável do tempo livre com exercícios físicos, jogos e competições, mas cabe também aos pais incentivarem e participarem junto com os filhos destas atividades.

A educação física traz muitos benefícios para a criança, tais como:

- Conhecer e dominar o próprio corpo.

- Auxiliar no desenvolvimento da inteligência ou cognitivo.

- Estimular as relações com as outras pessoas.

- Desenvolver competências como comportamentos saudáveis, atitudes e valores.

- Incorporar hábitos saudáveis como o esporte e atividades de lazer.

- Ajudar no desenvolvimento da autonomia e na formação do caráter.

- Elevar a autoestima.

- Os pais devem ser os parceiros na hora de educar, acreditando e fazendo o melhor como modelo de apoio e, de modo especial, de pessoas que ensinam e aprendem juntas.

Devem criar oportunidades interessantes para se exercitarem junto com os filhos em casa ou em locais como praças públicas e de lazer, levando em conta que:

Atividades como dançar, caminhar, correr, pular corda e outras brincadeiras podem ser incorporadas no dia a dia e realizadas em família. Brincadeiras como jogar bola e pular amarelinha, por exemplo, podem ser resgatadas e trazer alegria para a criançada.

      A criança gosta de movimento. Podemos estimulá-la tendo o cuidado de não forçá-la a fazer o que não gosta, mas motivá-la a conhecer atividades diferentes. A criança vai criando novas competências quando vivencia vários esportes, portanto, ela deve experimentar um pouco de tudo para descobrir o seu potencial. O esporte deve ser oportunizado como uma atividade saudável, de forma lúdica, flexível, sem o caráter puramente competitivo, mas para aprimorar o desempenho do corpo.

As atividades físicas, como expressão do lazer e do esporte, devem envolver o próprio viver, especialmente às crianças e aos adolescentes, pois contribuem na formação e expressão de vida. (site educar para crescer).

Um texto importantíssimo que fiz questão de publicá-lo na integra, pois nosso futuro esta nele. 

Artigos . Pai-torcedor

14/11/2016

Na década de 1990 tínhamos na equipe de tênis a qual eu era preparador físico uma atleta entre as melhores do Brasil na sua categoria. Dedicada e talentosa, mas sofria diretamente a interferência de seu pai com opiniões quase sempre contrarias a dos treinadores, o que claramente influenciava seu desempenho.

       Nos estudos que tratam dos motivos da prática esportiva, não é incomum encontrar dentre os fatores que provocam e potencializam o abandono esportivo estarem os pais. E estes estudos dividem os pais em dois grupos: São os torcedores mais ácidos, revelando-se pessoas de uma cobrança acima da média e, devido a sua aproximação afetiva, exercem o direito de insultar, esbravejar e gesticular como se, com tal atitude, os erros ou indecisões assistidas pudessem vir a ser eliminadas da partida. Os pais-torcedores silenciosos são tão perigosos quanto à versão anterior. Aqui, no silêncio, são armazenados todos os lances e premeditações da partida, para numa conversa posterior vir à tona, como uma cobrança pesada e impossível de ser paga.  Em uma pesquisa recente foi detectada uma relação importante entre os pais, no desenvolvimento das tomadas de decisões morais nos jogos. Estamos diante de decisões complexas que salienta o papel dos pais no sucesso da prática esportiva dos filhos e isso não se limita ao esporte de competição. Sendo eles fundamentais no desenvolvimento da cultura esportiva de seus filhos. Se estendendo para fora deste ambiente. Essencialmente, essa interferência trará seu foco sobre questões afetivas e emocionais e, portanto, extremamente sensíveis, em um momento, principalmente durante a adolescência de busca pela identidade pessoal e de autonomia do jovem.

É muito importante que os pais aprendam com o cenário esportivo. Eles têm de aprender a lidar com suas emoções e com a importância de seus comportamentos no desenvolvimento dos filhos. Como os dois comportamentos anteriores são nocivos tanto para o crescimento do atleta como para o do cidadão, cabe não somente ao treinador, como aos pais desenvolverem esta consciência critica em relação a criança. Talvez assim nossa atleta do passado não tenha parado tão precocemente.

Artigos . Cuidado com excesso

19/09/2016

Muitas pessoas me relatam que sofrem com a fadiga muscular, mesmo não estando em uma fase de treinamento mais intenso. Algumas variáveis devem ser lavandas em conta quando ela aparece. Tecnicamente, a fadiga pode ser denominada como a inaptidão dos músculos para cumprir adequadamente uma determinada atividade. Mas a principal causa do problema é a falta de energia no músculo, provocada pelo aumento da serotonina, um neurotransmissor, no sistema nervoso central, devido à prática esportiva.

A elevação indesejável da quantidade da serotonina no organismo está relacionada à condição física do indivíduo, bem como à falta de descanso ou outros fatores que lhe debilitem a saúde. Amadores que ainda não tenham desenvolvido seu estado atlético a ponto de enfrentar determinadas cargas de treinamento estão sujeitos ao problema. Atentos a esta questão, locais de treinamentos mais estruturados, bem como os praticantes de esporte em alto rendimento, fazem uso de testes de lactato para monitorar o risco de fadiga. Já os atletas amadores que não tenham esse recurso dependem do chamado “feeling” para apurar se estão sentindo falta de energia para cumprir suas planilhas de treino, sendo esta energia vinda da alimentação inadequada ou de excesso de treino. Sempre é importante manter uma planilha de treinamento para respeitar os intervalos de descanso para cada estimulo. Dependendo da carga de treino, é necessário observar um período de descanso de 48 ou até de 72 horas para um novo estimulo igual. Mesmo sem teste de lactato, o atleta amador pode detectar no corpo sinais de que está exagerando.  Um referencial é ao alongar a musculatura, o esportista ter a sensação dela “puxando”. Nesse caso, para-se na hora.

        Práticas como musculação bem orientada, hidroginástica e treinos leves de natação ajudam a eliminar as toxinas que geram a fadiga, bem como respeitar as horas de sono necessárias para uma plena recuperação, o que é fundamental.

Artigos . Doses de doenças

28/11/2016

Em 1928 um pesquisador britânico mudou o rumo do tratamento de infecções com uma descoberta por acaso. Após deixar uma cultura de fungos perdida em seu laboratório Alexander Fleming percebeu que tal bactéria não se desenvolvia diante de uma substância chamada por ele a época de penicillium notatum, ou a penicilina e hoje compõem os antibióticos. Mas esta pequena introdução nos remete para os dias de hoje, nas qual um pequeno recipiente muito usado por esportistas e em academias também é um local de proliferação de bactérias. Mas ao contrario do que Fleming descobriu estes frascos só trazem doenças. 

Sabe aquele squeeze (garrafinha) que você costuma levar para o treino, trabalho e academia para beber água ou algum suplemento? Um estudo afirma que ele contém mais bactérias do que um pote de água para cachorro e que a maioria delas pode causar doenças. Tal pesquisa analisou em laboratório 12 squeezes de atletas que não foram lavados durante uma semana. A análise verificou que as garrafinhas tinham, em média, 313 mil colônias de bactéria por cm², quase seis vezes mais do que uma vasilha usada por cachorros (47,3 mil colônias de bactéria/cm²). Além disso, constatou-se que cerca de 60% desses germes pode causar infecções de pele ou generalizadas e até pneumonia. Foram quatro os modelos analisados, sendo o pior o com tampa que desliza, no qual foi encontrada mais de 930 mil colônias de bactéria/cm². As com canudo embutido foram consideradas as “mais limpas”, pois os germes ficam depositados no fundo do canudo, dificultando o acesso deles à umidade. A boca e as mãos são os responsáveis por esse acúmulo de bactérias. Contudo, a presença delas por si só não garante que o atleta fique doente. Alguns fatores podem facilitar que a infecção se manifeste como feridas na boca e imunidade baixa.

Ao usar a garrafinha para beber apenas água, água e detergente são suficientes para fazer a limpeza. Porém, se colocar outros líquidos, como shakes, sucos e isotônicos, é preciso usar água fervente e uma escova para retirar os resíduos. Todo e qualquer recipiente que receba alimentos devem passar por uma higienização adequada, mas estes em especial o cuidado é ainda maior por serem carregado a muitos ambientes. 

Artigos . Curativo cardíaco

17/04/2017

  Quando falamos em revolução na área médica, uma nova técnica salta aos olhos da comunidade cientifica e vem para salvar muitas vidas. Uma das patologias que mais mata no mundo são as doenças cardíacas. Somente no Brasil o número de infartos mata aproximadamente 70 mil pessoas por ano, mas muitos sobrevivem e ficam com lesões no coração e agora estas lesões podem ter um “curativo”, pois as partes que acabam morrendo no musculo cardíaco podem ser reparadas com esta nova técnica.

Engenheiros biomédicos da University Duke nos Estados Unidos, desenvolveram um músculo cardíaco humano tridimensional capaz de agir como o tecido natural. O “remendo do coração” cultivado em laboratório a partir de células humanas supera dois grandes obstáculos que enfrentam as terapias à base de células. O remendo conduz eletricidade na mesma velocidade que as células cardíacas naturais e se comprime de forma adequada. As células de origem utilizadas pelos pesquisadores eram células-tronco embrionárias humanas. Estas células são pluripotentes, ou seja, podem dar origem a qualquer tipo de célula, neste caso, as células do músculo do coração.

Quando uma pessoa tem um ataque cardíaco, uma parte do músculo cardíaco morre. O objetivo do projeto é implantar um “remendo” novo e funcional do tecido cardíaco no local da lesão o mais rápido possível após um ataque cardíaco. Para isto foram usadas as próprias células de um paciente para gerar estas células pluripotentes acrescentando outra vantagem, evitar qualquer reação do sistema imune. As propriedades estruturais e funcionais desses retalhos de tecidos em 3D superam todos os relatórios anteriores de músculos cardíacos artificiais. Sendo a melhor aproximação feita pelo homem de tecido do coração humano até hoje. Para a continuidade do projeto a equipe planeja estudos com animais de grande porte para analisar se o remendo estabeleceria conexões com o sistema circulatório. Realmente uma revolução.


Artigos . Envelheça depois

31/12/1969

Já se imaginou poder ficar nove anos mais jovens apenas com exercícios. Sim. Isto é o que afirmam cientistas americanos em uma nova pesquisa sobre envelhecimento. Para tal basta faze-los em alta intensidade.

O estudo, publicado no periódico Preventative Medicine, relaciona o envelhecimento do ser humano com os telômeros das células. Tendo esta organela como sua principal função impedir o desgaste do material genético. O problema é que, cada vez que uma célula se reproduz, os telômeros encolhem e quanto mais eles diminuem, mais uma pessoa envelhece. De acordo com a pesquisa, as pessoas com telômeros mais curtos, ou seja, com sinais de envelhecimento celular maiores, também tinham um estilo de vida sedentário. Já os voluntários que faziam exercícios de alta intensidade tinham os telômeros mais compridos e, consequentemente, mais jovens. Mas o mais interessante é que não basta fazer exercícios leves duas vezes por semana para manter seus telômeros alongados, e sim os homens precisam se exercitar cinco vezes por semana por 40 minutos e as mulheres 30 minutos diários, segundo a pesquisa.

Os adultos que se exercitam em alta intensidade têm a vantagem de envelhecimento biológico de nove anos sobre adultos sedentários, já a diferença no envelhecimento celular entre aqueles com alta e baixa atividade também foi significativa, (8,8 anos).

Em outro estudo, cientistas descobriram recentemente que as mitocôndrias e os ribossomos também podem influenciar na “idade” das células. Ribossomos são conhecidos por produzir as proteínas das células e as mitocôndrias realizam a respiração celular, um processo necessário para que a célula obtenha energia. À medida que o ser humano envelhece, a capacidade das mitocôndrias de gerar energia diminui. Mas segundo os pesquisadores, é possível reverter esse quadro com exercícios de alta intensidade alternado com períodos de descanso, também conhecido como treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT). Os pesquisadores concluíram que o exercício intenso produziu maiores benefícios em nível molecular, tanto para os idosos quanto para os jovens. Segundo eles, as células dos voluntários mais velhos começaram a gerar energia a uma taxa comparável às células de corpos muito mais jovens. Certamente um estudo promissor, mas não esquecendo a premissa da individualidade biológica, ou seja, temos que conhecer e respeitar nossos limites físicos. 

Artigos . Comece pelo básico

17/07/2017

Segundo a Federação Mundial de Cardiologia, pessoas que não praticam exercícios físicos têm um risco duas vezes maior de sofrer doenças do coração quando comparadas a quem pratica regularmente, independente de estar ou não acima do peso. O Ministério da Saúde, mostra que menos da metade das pessoas com idade entre 18 e 24 anos fazem atividade física e este número diminui muito mais a partir dos 65 anos.

A pratica mais básica e recomendada é a a caminhada, pois não requer nada que não esteja ao nosso alcance. A melhor opção é sempre realizar atividades físicas com orientação, no entanto, a OMS reforça que os riscos de não se exercitar são muito maiores do que os de fazer atividades físicas sozinho. Para proteger sua saúde explico sete cuidados que se deve ter antes de começar a se exercitar.

A visita a um médico é fundamental antes de iniciar uma atividade física para qualquer pessoa, principalmente se houver fatores de risco associados. Sendo ainda mais importante para quem tem doença cardiovascular, metabólica ou mais de 40 anos.

Exercícios preparatórios antes das atividades físicas é básico para qualquer um. Eles são importantes para a comunicação do sistema muscular com o sistema nervoso e aumenta muito o rendimento fisiológico da pessoa. O aquecimento eleva a temperatura corporal e a frequência cardíaca, de tal forma que leva mais sangue, nutrientes e oxigênio para os músculos.Escolha o melhor lugar. Procure por terrenos livres de obstáculos e planos. Com a progressão é possível mudar o estímulo, alternando entre terrenos planos e pequenas subidas.

Já para a intensidade do treino, use o nível de sua capacidade física como referência. De maneira geral, comece com um ritmo confortável e evolua de acordo com o ganho de condicionamento físico. As primeiras semanas de exercício físico são um período de adaptação do corpo à atividade física, por isso, a recomendação é iniciar com 20 minutos três vezes por semana. Subindo gradativamente até na quarta semana cumprir trinta minutos cinco dias na semana, recomendados pela OMS. Uma postura correta é fundamental e para isto existem exercícios educativos. Desta forma, reeduca-se a pessoa para que ele previna lesões, economize energia gasta de forma desnecessária com contrações musculares erradas.

E por último, ouça seu corpo. Durante o exercício, fique atento à sua frequência cardíaca e a respiração. A falta de ar ao correr ou caminhar indica que as moléculas de oxigênio não estão sendo adequadamente absorvidas pelo sangue. O que pode levar a um trauma.

Artigos . Massagem desportiva

07/08/2017

Atletas ou pessoas que praticam exercícios físicos com frequência sabem que a musculatura precisa de preparação e recuperação. A massagem desportiva é reconhecida por auxiliar na recuperação e dar suporte para os esportistas alcançarem seus objetivos.

Especificante na fase de treinamento, pode ajudar atletas e pessoas praticantes a recuperarem a musculatura mais rapidamente após uma sessão mais intensa e também a evitar dores causadas pela fadiga. Neste momento pré treino, as manobras devem ser realizadas com mais velocidade e intensidade, elevando assim a circulação sanguínea e temperatura no local. Já após uma competição, auxilia na regeneração muscular, alongando as fibras musculares, eliminando possíveis edemas e toxinas do corpo. Neste caso, a massagem deve ser mais lenta e precisa. Pesquisadores citam que a massagem desportiva realizada após uma atividade física intensa, promove uma recuperação muscular mais rápida,  além da diminuição da dor.

​        A técnica também trabalha nos trigger points, que são nódulos sensíveis e palpáveis causadores de dores. Tais pontos podem estar longe do local de origem da dor e podem causar problemas como enxaquecas, torcicolos e dores nos braços e pernas. Outro detalhe que lhe valoriza é o efeito psicológico, ligado ao bem estar, desencadeado pelo toque e pelo relaxamento.

​     Para a aplicação desta técnica, é importantíssimo o conhecimento pelo profissional que irá emprega-la das necessidades especificas de cada paciente ou atleta.  Ter conhecimento de  qual esporte pratica e quais áreas do corpo são mais requisitadas, são fundamentais  para a  efetividade  e sua correta aplicação. Com fundamentação teórica comprovada, muitos atletas, como os jogadores de futebol, corredores e fisioculturistas, são usuários da massagem desportiva que comprovam os benefícios para aumentar o desempenho e evitar lesões.

​    Mas ela é contra indicada para quem apresenta lesões agudas, doenças cutâneas, feridas abertas, febre, infecções, tumores, trombose, problemas circulatórios ou renais. Já os benefícios são muitos, como: relaxar a musculatura, aliviar o estresse, dores locais, evitar a fadiga crônica, remover toxinas, amplitude articular, diminuir edemas locais, aumentar o desempenho e prevenir lesões. Especialistas recomendam a realização  uma vez por semana e no caso especifico de preparação para uma prova, pode-se aumentar para duas vezes ou sempre após o treinamento e competição.

Artigos . A qualquer custo

28/08/2017

Originalmente prescritos para idosos que perderam massa muscular e pacientes com queimaduras gravíssimas, os esteroides anabolizantes hoje são comercializados com outro intuito, para quem quer um corpo sarado e não saudável.

        Uma moda que pode ser fatal. A declaração de uma ex-usuária choca pelas marcas deixadas, não somente em seu corpo como em sua mente. - Usei uma vez só, um único ciclo, mais de dez anos atrás, não foi algo frequente. Namorava um personal trainer e eu era muito magrinha. Malhava mas não conseguia ganhar peso. Queria me sentir melhor, mais segura, com mais autoestima. O meu namorado na época era forte, bombado, eu destoava ao lado dele. Ele já fazia uso destas substâncias e falava que elas tinham resultado rápido. Consequência; Hoje dez anos depois fui diagnosticada com hipertireoidismo. Comecei a ter queda de cabelo, falta de libido. Após um exame serei obrigada a tomar medicamento até a tireoide voltar ao normal. Mas a minha voz nunca mais voltará ao normal. Se pudesse voltava no tempo.

O uso de esteroides de fato proporciona perda de gordura e ganho de massa muscular, mas os efeitos adversos são graves e proporcionalmente mais fortes entre mulheres, explica Alexandre Hohl, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. A pele fica mais oleosa, com acne, diminui a mama, altera a voz, altercação também no ciclo menstrual com comprometimento da fertilidade, lesões hepáticas e cardíacas e aumento do clitóris. Com um agravante, se a mulher engravidar de menina, pode haver a masculinização do feto. Já nos homens o uso propicia doenças cardíacas, respiratórias e até psiquiátricas e pode aumentar as chances de tumores no fígado e nos testículos e próstata . Além de ginecomastia, que é o aumento da mama.

         Em um país conhecido mundialmente pela beleza, o sonho de um ideal estético pode estar sendo construído a um custo altíssimo, em um caminho marcado pelo desconhecimento de usuários que trocam a saúde pelo risco e o mais grave, a irresponsabilidade de alguns profissionais. 

Artigos . Órgãos impressos

20/11/2017

Em um futuro não tão distante uma frase poderá ser dita comumente em uma loja que venda órgãos humanos: - por favor um rim! Será? Isto é o que cientistas do Instituto Wake Forest de Medicina Regenerativa buscam com a impressão 3D de tecidos humanos. Um projeto para imprimir órgãos em que a impressora deposita células em meio de cultura no lugar e proporção certos, assim reconstruindo biologicamente um tecido semelhante e que já esta sendo testado em cobaias.

O que eles fizeram foi desenvolver uma impressora que usa materiais biodegradáveis, semelhantes ao plástico, para servir como molde para células vivas que o preencherão. Os cientistas já imprimiram estruturas do ouvido, ossos, músculos e as implantaram em animais. Esses tecidos se mostraram funcionais e desenvolveram um sistema de vasos sanguíneos que manteve as células vivas. Foi a primeira vez que as células sobreviveram ao processo de impressão e se mantiveram vivas por tempo suficiente para se integrar ao organismo. As células se proliferam e substituem o modelo, que degrada naturalmente. Outro uso fundamental já acontece aqui no Brasil. As impressões servem como modelos para que os médicos planejem melhor as cirurgias. Com esses órgãos impressos em mãos, chamados biomodelos, o especialista pode ensaiar um procedimento cirúrgico. Isso diminui o tempo da cirurgia e os riscos de complicações. A possibilidade de ter em mãos a anatomia fidedigna do paciente, além de empolgar a classe medica, facilita e muito a perspectiva de intervenção invasiva de um procedimento. A réplica do órgão do paciente serve para o médico planejar melhora ainda a cirurgia.

A tecnologia de impressão em três dimensões, começou a ser usada na medicina ainda na década de 1980, para a produção de próteses de reconstrução óssea. O uso para a impressão de órgãos se intensificou nos últimos  anos, quando surgiram pesquisas e publicações científicas sobre o assunto. Por enquanto, os estudos apenas descrevem o uso dos biomodelos. Não comparam a eficácia e o custo dos procedimentos que usam esses órgãos de plástico aos das intervenções tradicionais. Mas sinalizam para uma revolução no tratamento de varias patologias e no tempo de espera para um transplante, que hoje é um calvário para quem dele necessita.

Artigos . Os cinco de Harvard

27/11/2017

Segundo líder do estudo e professora de Epidemiologia da Faculdade de Medicina de Harvard (EUA), I-Min Lee, propõe em seu estudo, que 5 atividades esportivas são responsáveis por: desde a perda de peso até o ganho de músculos, proteção do coração e fortalecimento dos ossos. E aqui são descritas.

1. Tai chi: Arte marcial chinesa que combina uma série de movimentos delicados e fluidos para criar uma espécie de meditação em movimento. O exercício é praticado lenta e suavemente com um alto grau de concentração e dá especial atenção para a respiração em profundidade. Como são os praticantes que definem o seu próprio ritmo, ele é acessível para uma variedade muito ampla de pessoas, independentemente da idade ou da condição física.

2. Caminhar: Vários estudos sugerem que realizada durante pelo menos 30 minutos, mesmo sendo em ritmo moderado ou pausado, pode trazer benefícios para a mente e para o corpo. Em pessoas com depressão severa, esse exercício pode contribuir para uma redução clinicamente importante. É uma atividade que melhora o sistema cardiovascular, ajuda a fortalecer a parte inferior do corpo nas pessoas mais velhas e naquelas com pouca condição física.

3. Exercícios de Kegel: Importantes para homens e mulheres, eles ajudam a fortalecer a região pélvica. À medida que envelhecemos, essa região, que inclui o útero, a bexiga, o intestino delgado e o reto, se fragiliza. Manter esse conjunto com resistência traz benefícios como o de evitar incontinência urinária.

4. Natação: Trata-se do “exercício perfeito”, segundo os autores do boletim de saúde de Harvard Healthbeat. Além de trabalhar quase todos os músculos do corpo, a natação eleva a frequência cardíaca e melhora a saúde do coração e protege o cérebro da deterioração da idade. Nadar regularmente entre 30 e 45 minutos é um exercício aeróbico que ajuda a combater a depressão, a elevar o estado de ânimo e a diminuir o estresse, entre outros benefícios.

5. Treinamento de força: Requer o uso do peso para criar resistência. Pode ser o próprio corpo, pesos com ou sem alça, tiras elásticas e trata-se de um exercício fundamental em qualquer tipo de treinamento. Melhora a força muscular, previne lesões, ativa o metabolismo. Todo mundo pode e deve fazê-lo, obviamente de forma adaptada caso a caso. Fonte: Jornal El País.

 

Artigos . HPV

04/12/2017

Esta semana foi publicada uma pesquisa pelo Ministério da Saúde que mostra que 54,6% da população jovem brasileira está infectada com um vírus que pode causar câncer do colo do útero, e outros tantos. A coleta se deu entre pessoas de 16 e 25 anos, num total de 7.586, destas, 2.669 foram testadas para HPV, e mais da metade apresentou infecção pelo vírus. E o mais importante é que 38,4% apresentaram tipos do vírus que podem causar câncer. Existem mais de 150 tipos diferentes de vírus para o HPV, que podem infectar a pele e as mucosas e pelo menos 13 tipos são considerados fator de risco para câncer.

 maioria das pessoas infectadas pelo Papiloma Vírus Humano não apresenta sintomas aparentes, um percentual muito pequeno apresenta lesões e elas podem se manifestar de forma clínica, com o aparecimento de verrugas, ou sub-clínica, não visível a olho nu, como as que aparecem no colo do útero. O diagnóstico de uma infecção sem sintomas se faz por exames de biologia molecular, que mostram a presença do DNA do vírus. Como não há tratamento específico para eliminar o vírus, normalmente as infecções regridem naturalmente. Já as lesões e verrugas podem ser tratadas com laser, eletrocauterização ou outras técnicas. Mas, quando ela persiste e é causada por um tipo viral que tem potencial para causar câncer as chamadas oncogênicas, pode haver desenvolvimento de lesões precursoras. Se não forem tratadas, elas podem evoluir para um câncer. Os casos mais comuns são de câncer de colo do útero, que pode ser diagnosticado com o exame preventivo papanicolau. Mas tumores também podem aparecer na vagina, vulva, ânus, pênis, garganta e boca.

Como o vírus é facilmente transmitido pelo ato  sexual e o contágio ocorre por contato direto com a pele ou mucosa infectada, não precisando haver penetração para que haja a infecção, a proteção sempre é a melhor maneira de proteção. E para isto existe a vacina quadrivalente, que protege contra os tipos 6, 11, 16 e 18 do vírus. Além do uso de preservativos.

© FITNESS CLUB
Login
Horário de Atendimento Segunda à Quinta Das 7hs às 21:30hs Sexta Das 7hs às 21:00hs Sabado Das 9hs às 12:00hs
Onde estamos
Av. Independência, 700 sala 108, Campo Bom/RS

(51) 3597-4510